Por Gabriel Preuss

dezembro 11, 2023

LinkedIn Ads é caro mesmo?

LinkedIn Ads é caro mesmo?   Valores para Anúncios no LinkedIn: Investimento Estratégico ou Exagero de Preço?   Quando se fala em publicidade no LinkedIn, muitos profissionais de marketing e empresários se perguntam: “O LinkedIn Ads é realmente caro?”. A resposta, no entanto, não é tão simples e envolve uma análise mais detalhada das estratégias […]

LinkedIn Ads é caro mesmo?

 

Valores para Anúncios no LinkedIn: Investimento Estratégico ou Exagero de Preço?

 

Quando se fala em publicidade no LinkedIn, muitos profissionais de marketing e empresários se perguntam: “O LinkedIn Ads é realmente caro?”.

A resposta, no entanto, não é tão simples e envolve uma análise mais detalhada das estratégias e práticas adotadas.

Para quem já se aventurou no mundo dos anúncios pagos no LinkedIn e obteve poucos leads com um custo mais alto, a falha pode não estar na plataforma, mas sim na estratégia adotada.

Tráfego pago é sinônimo de teste. Se você embarcar nessa jornada sem uma estratégia bem definida e validada, sua campanha, inevitavelmente, patina.

E quando ela patina, o custo tende a flutuar. Em outras palavras, uma estratégia inadequada pode tornar seus anúncios mais caros.

Leia também: Como geramos mais de dois mil leads no Facebook Ads a um custo baixíssimo

Fazendo uma breve retrospectiva, podemos observar que, antigamente, o investimento diário mínimo no LinkedIn Ads era de R$ 80. Isso já era uma barreira para empresas com orçamentos de marketing mais apertados.

Felizmente, os tempos mudaram e, agora, o valor mínimo é de R$ 20. Porém, isso não significa que o jogo ficou mais fácil.

Veja também em nosso canal no YouTube: Qual o diferencial do LinkedIn ads? PARTE 1

O LinkedIn se destaca por sua capacidade de conectar profissionais e empresas de diversas áreas e setores. Uma de suas características mais valorizadas, especialmente por profissionais de marketing e vendas, é a sua capacidade de segmentação de anúncios.

Essa capacidade permite que anunciantes direcionem suas campanhas publicitárias com uma precisão única nesse contexto, alcançando grupos específicos de usuários com base em critérios como indústria, cargo, tamanho da empresa, habilidades, localização geográfica, entre outros.

A segmentação refinada significa que as empresas podem criar anúncios altamente personalizados e relevantes para um público-alvo que é provável que se interesse por seus produtos ou serviços.

Isso tende a ser mais efetivo do que disparar anúncios genéricos para inúmeros usuários que podem ou não ter interesse no que está sendo oferecido.

Veja também em nosso canal no YouTube: Qual o diferencial do LinkedIn ads? PARTE 2

Contudo, essa segmentação vem com um custo. Quando o público é muito específico e qualificado, ele naturalmente se torna menor.

Isso significa haver menos pessoas para exibir os anúncios, o que pode resultar em um custo mais alto para alcançar cada uma delas.

O CPM (Custo Por Mil impressões) é uma métrica que indica quanto o anunciante paga a cada mil visualizações do anúncio. Em públicos altamente segmentados, o CPM tende a ser mais elevado, pois o mercado para o qual o anúncio é relevante é menor e, muitas vezes, mais competitivo.

Agora, quando falamos do CTR (Taxa de Cliques), que é a porcentagem de cliques que um anúncio recebe em relação ao número de vezes mostrado, o LinkedIn apresenta particularidades. A plataforma é usada por profissionais frequentemente em um contexto de trabalho ou considerando oportunidades de carreira.

Isso pode influenciar o comportamento deles em relação aos anúncios, fazendo com que sejam mais seletivos e intencionais ao clicar.

Além disso, o conteúdo dos anúncios no LinkedIn geralmente é mais informativo e orientado para a geração de leads ou oportunidades de negócios, o que pode resultar em um CTR diferente quando comparado a outras redes sociais usadas para lazer ou entretenimento.

Leia mais: Como escolher a plataforma certa de redes sociais para o seu negócio

Portanto, os anunciantes no LinkedIn precisam balancear entre a segmentação detalhada e o custo associado, ao mesmo tempo, em que otimizam seus anúncios para um público que se comporta de maneira distinta em relação a outras plataformas.

A “arte” aqui envolve encontrar um ponto ótimo onde o custo de alcançar esse público específico seja justificado pela qualidade e pelo interesse do público, refletindo-se em uma taxa de conversão alta o suficiente para compensar um CPM maior.

Conquiste leads qualificados de verdade para a sua empresa

Aqui na Raizhe Projetos Digitais, nosso CTR médio é de impressionantes 85%. O que isso significa? Simples: ao segmentarmos de maneira estratégica, garantimos que o público-alvo escolhido não apenas veja, mas também interaja com nosso conteúdo.

Com uma segmentação afiada, conseguimos mais qualificação, maior eficiência e, como resultado, um menor custo por lead qualificado (MQL).

Outro ponto crucial é a tentativa de replicar estratégias de outras plataformas, como Meta Ads, diretamente no LinkedIn. Esta é uma receita para resultados medíocres e custos elevados.

Cada plataforma tem suas peculiaridades e boas práticas, e é essencial adaptar-se a elas.

Conclusão:

O LinkedIn Ads é caro? A resposta é NÃO. Na verdade, nenhuma plataforma de anúncios é intrinsecamente cara. O que pode ser caro é a adoção de estratégias genéricas, replicando as mesmas campanhas em todas as plataformas, sem considerar suas especificidades.

Portanto, para obter o melhor retorno sobre o investimento no LinkedIn Ads, é vital acertar na estratégia e seguir as melhores práticas da plataforma.

Utilizamos cookies para oferecer melhor 

experiência, melhorar o desempenho, analisar 

como você interage em nosso site e personalizar 

conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda

 com o uso de cookies.

Saiba mais